ANÁLISE DO PROGRAMA DE JAIR BOLSONARO

Por Flor Poznanski

Fiz o esforço hoje de ler a íntegra do plano de governo de Bolsonaro. E com toda a honestidade que tentei achar há muito, muito pra criticar.

Vão abaixo meus comentários, esperando ter ajudado na narrativa da contra-argumentação.

A integra do documento encontra-se aqui : https://goo.gl/YY2VZP

  • 5 PONTOS PRINCIPAIS
  1. Primeiro, comentar que a maioria das propostas são vagas, sem dados nem metas, falas bonitinhas e sensacionalistas do tipo “vamos resolver todos seus problemas” que são muito perigosas num plano de governo.

  2. Por um governo que pretende acabar com a corrupção não há mais de 4 linhas (p. 35) sobre o tema e a única proposta é seguir o que o Ministério Publico já faz.

  3. Muito lamentável é ver que a principal fonte do programa para descrever o quadro de homicídios no Brasil é ….. um documentário da Globo (😑) (p. 24 em diante) chamado a “Guerra do Brasil”.

  4. O lado neoliberal é plenamente assumido, colocando nas primeiras páginas a defesa da propriedade privada acima de tudo e até mesmo antes dos valores da família (p. 4). As propostas na área da saúde e educação não trazem grandes inovações sendo que serão inevitavelmente afetadas pela redução das despesas públicas. Nada também sobre meio ambiente e (o que era de se esperar) sobre direitos humanos, mulheres, racismo, juventude, etc.

  5. Dramático ver que no novo modelo de gestão pública chamado “Orçamento Base Zero” (p. 13) onde: “Cada gestor terá que justificar suas demandas e não haverá garantias de continuidade de recursos. O montante gasto no passado não justificará os recursos demandados no presente ou no futuro”. Ou seja, o fim da política pública.

  • ALGUNS DETALHES DE PROPOSTAS POR TEMA
  • Mídia: contra qualquer forma de regulação (p.7) ==> ou seja, a favor do monopólio dos grupos privados

Prisão: “Prender e deixar na cadeia” (p. 30) ==> desejo boa sorte para cumprir e pretender bons resultados… já foi comprovado que não funciona e só adia e aumenta o problema.

  • Forças armadas: “Policiais precisam ter certeza que, no exercício de sua atividade profissional, serão protegidos por uma retaguarda jurídica” (p. 32) ==> ou seja impunidade para os policiais.

  • Saúde: (p. 40): interessante notar que Bolsonaro não quer o fim do programa “Mais Médicos” que tanto criticou. Cuba não presta, mas seus médicos sim… estranho!

  • Reforma da previdência (p. 57): defende a transição por um modelo de capitalização (contra o qual o povo do Chile e Argentina lutou tanto) acabando com o atual modelo de repartição.

  • Impostos (p. 58) o programa é dos mais vagos, não traz dados e metas mas afirma a redução da carga tributaria sem falar de proporcionalidade o que é uma das principais injustiças pois muitos não pagam quanto deveriam.

– Fim da CLT (p. 64) : a nova carteira de trabalho Verde e Amerla generaliza a submissão a acordos individuais com as empresas prevalecendo o negociado sobe o legislado. Mesmo deixando vigente a antiga carteira azul aplicando a CLT, é obvio que a concorrência induzirá os trabalhadores a abrir mão de seus direitos trabalhistas se querem ser contratados.

  • Universidades (p. 46 e 49): “deve focar no avanço técnico, desenvolver novas parcerias com iniciativa privada” ==> fim da autonomia da pesquisa. Nenhum programa destinado a tirar as universidades públicas da carência de recurso. A única orientação é estimular o empreendedorismo.

  • Educação à distância (p. 46): para as áreas rurais…… onde não há nem Internet para se conectar ao Wifi. (enquanto isso, os governos do PT criaram dezenas de universidades federais).

  • Divida pública (p. 56): pretende reduzir com privatizações (discurso clássico do neoliberalismo): não se fala nada de auditoria de uma dívida ilegal contratada desde a ditadura.

Privatizações (p. 61): argumento para sanar as contas públicas e lutar contra corrupção e incentivar a competição ==> não se preocupa com a qualidade de serviço e o custo remanescente para o cidadão que tera que pagar por um serviço que antes era gratuito.

  • Agricultura (p. 68, 69) : uma minuscula pagina dizendo que todos os serviços terão a mesma porta de entrada e nenhuma proposta para agroecologia e agricultura familiar.

  • Petrobras (p. 74) : sobre os preços do petróleo e as reivindicações dos caminhoneiros “Os preços praticados pela Petrobrás deverão seguir os mercados internacionais, mas as flutuações de curto prazo deverão ser suavizadas com mecanismos de hedge apropriados ». Muito difícil de entender, mas há confirmação de que os preços continuarão a sofrer as flutuações do mercado internacional, descumprindo o compromisso com os caminhoneiros.

  • Relações internacionais (p. 79): sobre as prioridades em termos de parcerias : “Deixaremos de louvar ditaduras assassinas e desprezar ou mesmo atacar democracias importantes como EUA, Israel e Itália ». Os três países onde há governos de extrema direita racistas e xenófobos são os únicos países mencionados na lista o que deixa imaginar o tipo de posicionamento geopolítico que o governo Bolsonaro que ter.

  • Renda Mínima (p. 63). O programa prevê uma proposta de Renda Mínima básica para todos os brasileiros para “garantir uma renda igual ou superior a Bolsa Família”. Isso não é necessariamente ruim e vários partidos de esquerda também defendem a ideia. Mas dependentemente de como é aplicada pode ser uma oportunidade para cortar outros auxílios e reduzir os gastos em assistência social. Ademais nada é dito sobre aumento do salário mínimo e essa medida que custa caro e não há quantificação tem pouca viabilidade na perspectiva da drástica redução de gastos públicos que Bolsonaro pretende fazer.

  • NA CATEGORIA FAKE NEWS, ALGUMAS PEROLAS
  • Mais de UM MILHÃO de brasileiros foram assassinados desde a 1 ª reunião do Foro de São Paulo… » (p. 12): ❗️FAKE❗️. Não ha comprovação que um fato seja ligado com o outro.

  • Epidemia de crack, introduzido no Brasil pelas filiais das FARC » (p. 12): ❗️FAKE❗️. As FARCs não podem ser considerados os únicos autores do trafego de droga no país já que vários políticos foram presos por isso e outras redes de trafego existem (vejam .. Aécio Neves)

  • As FARCS Participam do Foro de São Paulo » (p. 26): ❗️FAKE❗️. Vejam matéria da UOL dizendo que PT se recusou a entrada das FARC’s no FSP em 2008 : https://www1.folha.uol.com.br/…/407374-pt-barrou-as-farc-em…

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Categorias
#EleNãoArtigoDestaquesDireitos HumanosGeralPolítica
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish