Alunos de escolas particulares apoiam professores na paralisação do dia 23 de maio

Carta do INFLAMA (Frente de Ação das Escolas Particulares) em apoio aos professores contra fim de direitos duramente conquistados

Foto: INFLAMA (Frente de Ação das Escolas Particulares) -alunos votam para paralisar aulas no dia 23 de maio na Escola da Vila

Frente aos recentes ataques da classe patronal à Convenção Coletiva, nós, secundaristas de escolas privadas (Escola da Vila, Colégio Oswald de Andrade, Colégio São Domingos, Colégio Equipe, Escola Vera Cruz, Colégio Santa Cruz, entre outras participantes) e do INFLAMA, decidimos nos mobilizar e manifestar todo o apoio à luta dos professores contra os cortes de seus direitos.

A luta pela educação permeia diferentes campos e sujeitos, se refere a todos os âmbitos da sociedade. A vida está banalizada, as relações enfraquecidas, os grupos desmobilizados. Não é de tempos recentes que a educação é desvalorizada e cada vez mais precarizada por aqueles que sobem no poder para gerir a sociedade como empresa.

A Convenção Coletiva garante uma série de direitos aos professores, que vêm sendo colocados em posições cada vez mais fragilizadas. Os direitos dos trabalhadores poderão ser NEGOCIADOS dentro de cada escola, porém não garantidos! Cortes como bolsa para filhos de professores, recesso de 30 dias e pagamento de horas extras são alguns dos exemplos da proposta do patronal.

Diante disso, diversas mobilizações por parte dos professores vêm ocorrendo, e em Minas Gerais, após 10 dias de greve, os professores de escolas particulares conseguiram que os patrões recuassem e garantissem seus direitos! Em São Paulo, ocorreu no dia 19/05, uma assembleia convocada pelo SINPRO-SP, deliberando paralisações nas escolas particulares na próxima quarta-feira, dia 23/05.

Nós, secundaristas de escolas particulares e participantes do INFLAMA, por meio desta carta, demonstramos e garantimos nosso total apoio à luta dos professores por seus direitos, que, por consequência, pertence a nós também. Não se faz educação sem professor, e, portanto, a dignidade da profissão deve ser garantida. Chamamos todos para se juntarem a essa luta e buscarem se mobilizar dentro de cada escola. Convidamos também todos a aderirem ao ato na Av. Paulista (concentração no MASP às 16h) e às paralisações convocadas pelo SINPRO-SP nesta quarta-feira, dia 23/05.

INFLAMA – Frente de Ação das Escolas Particulares

Categorias
CidadaniaDestaquesDireitos SociaisEducaçãoFim da CLTSão Paulo
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish