Alimentos jogados fora e Doria se omite

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp

Situação aburda denunciada por Raimundo Bonfim, da Central dos Movimentos Populares.

NOTA DE REPÚDIO CONTRA A DESTRUIÇÃO DE TONELADAS DE ALIMENTOS

A Central de Movimentos Populares (CMP) vem a público denunciar e manifestar seu repúdio diante do conteúdo da matéria “Produtor rural destrói toneladas de alimentos no cinturão verde de São Paulo”, publicada neste domingo (18), no jornal Folha de S. Paulo.

O cinturão verde da região metropolitana de São Paulo conta com 7 mil produtores, que respondem por 25% do abastecimento nacional de verduras. De suas produções saem 90% das verduras e 40% dos legumes consumidos na capital de São Paulo, segundo a reportagem da Folha.

O coordenador da CMP, Raimundo Bonfim, afirma que “já é inaceitável, um crime, descartar alimentos em qualquer situação, mas em um momento em que há uma grave crise causada pela pandemia no novo coronavírus, em que cada vez mais famílias entram para a linha da vulnerabilidade e pobreza, o fato de jogar comida no lixo, enquanto milhões estão passando fome, é atentar contra a vida e a dignidade humana”.

Enquanto a CMP e seus movimentos populares filiados trabalham incansavelmente para arrecadar e distribuir alimentos para a população mais vulnerável, na outra ponta o que temos é a falta de compromisso e de responsabilidade do governo do Estado de São Paulo ao não cumprir seu papel, visto que os alimentos estão sendo descartados devido à falta de veículos para fazer o transporte dos mesmos.

A CMP sempre esteve ao lado do povo de São Paulo e do Brasil. Neste momento, junto com outras entidades, dá seguimento a campanha “Movimentos Contra Covid-19” para arrecadar e distribuir não só alimentos para a população vulnerável das favelas, cortiços, ocupações e periferias, mas também material de higiene pessoal e de limpeza.

A CMP propõe que o governo do Estado de Paulo tome medidas urgentes para viabilizar o transporte desses alimentos para serem doados às famílias com dificuldades por causa do isolamento social, necessário para se evitar a contaminação em massa. A CMP de dispõe a contribuir indicando comunidades das periferias, favelas e ocupações para receberem e efetuarem a distribuição dos alimentos para quem precisa.

São Paulo, 19 de Abril de 2020

Central de Movimentos Populares

Veja como colaborar com as frentes Brasil Popular e Povo sem Medo que fazem vaquinha para comprar cestas básicas para os mais pobres.

Atingimos 79 pontos de solidariedade e 25 mil cestas básicas distribuídas! Ajude a CMP a continuar no combate aos efeitos do Coronavírus

Nossa iniciativa visa conseguir arrecadar recursos para viabilizar a distribuição de cestas básicas de alimentos e produtos perecíveis (que garantam a “mistura” na refeição), além de materiais de higiene e limpeza. O público alvo são famílias que vivem nas favelas, ocupações, cortiços e periferias das cidades onde a CMP atua diretamente ou por meio de suas organizações filiadas. Nossa ação está totalmente integrada com a Campanha Ação de Solidariedade ao Povo Brasileiro, lançada pelas frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo. Ajude-nos a continuar com esse trabalho.

Veja mais no link e contribua!:

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/solidariedade-aos-grupos-mais-vulneraveis

COMENTÁRIOS

POSTS RELACIONADOS

>