Millie, a Eleven de Stranger Things, foi “adultizada”

Hoje estreia mais uma temporada de "Stranger Things"... Mas temos algo a comemorar?...

Stranger Things é uma série de televisão americana de ficção científica e terror criada, escrita, dirigida e co-executiva produzida pelos irmãos Matt e Ross Duffer, assim como co-executiva produzida por Shawn Levy e Dan Cohen, sendo distribuída pela Netflix. Eleven é uma das protagonistas da série.

Millie Bobby Brown, a Eleven, da série Stranger Things, foi eleita uma das mulheres mais sexies da TV americana? A notícia é fake, mas reacendeu um debate complexo e importante: A erotização das crianças.

Millie tem 13 anos.

Um corpo de criança que está exposta na grande mídia: Apos ter acreditado que Millie foi eleita uma mulheres mais sexies da Tv Americana, fui ao Pinterest e fiz uma pesquisa para entender a eleição dessa nova sex symbol e entendi que Millie Bobby Brown está maquiada e embalada para consumo, adultizada, fetichizada.

Depois fui ao seu Instagram e poucas imagens ali fazem lembrar que se trata de uma criança.

Isso, para quem não sabe (há mesmo alguém que não saiba?) é parte da cultura de estupro e da verdadeira pedofilização da sociedade.

Meninas na faixa etária da Millie, um pouco mais novas, um pouco mais velhas, são vulneráveis quanto aos seus corpos que estão passando por transformações importantes, e se a sociedade afirma que são desejáveis por seus corpos, essas meninas se tornam presas fáceis de abusos.

Agora coloquem nessa equação a auto-exposição dessas crianças nas redes sociais sem qualquer crivo ou filtro de seus responsáveis. Sim, há meninas se expondo por likes.

Meninas e meninos tentando suicídio para serem aceitos nas redes. Meninas no alvo de olhares masculinos que as veem como “as novinhas”.

Millie Bobby Brown foi colocada sim pauta de uma revista que lista as mulheres e homens que tornam a TV americana mais quente, sexy, gostosa – Apesar de não participar do ranking: (https://www.wmagazine.com/gallery/charlize-theron-atomic-blonde-w-magazine-cover-august-2017/all).

Uma criança de 13 anos, ainda sem curvas, ainda sem os necessários mecanismos de auto-proteção e a família e o Estado falham em protegê-la.

Quando Millie Bobby Brown posta uma foto de biquíni e tem mais de 400 mil curtidas, boa parte dela de homens adultos até onde vi, me parece que há algo de errado.

Não quero parecer moralista e a respeito da exibição de qualquer corpo, mas é o que vem junto, ideologicamente, nessa exposição que me preocupa: a adultização, a glamourização, a ninfetização de crianças para consumo adulto. As legendas que indiretamente pedem, provocam: olhe para o meu corpo, sou desejável para você?

E nós, estamos atentos às atividades das crianças em rede? Estamos percebendo se estão se colocando em risco?

Texto de: Micheliny Verunschk

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Categorias
ArtigoComunicaçãoFeminicídioGeralGlobalmulheresviolência

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.

Um comentário

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish