Temer tem que sair, viu?

Por Leandro Pedrosa, especial para os Jornalistas Livres
15/05/2017- Brasília - DF, Brasil- Presidente Michel Temer durante entrevista para o programa Frente a Frente da Rede Vida. Foto: Marcos Corrêa/PR

Michel Temer não tem mais condições de governar. Nem como capataz do projeto de destruição de conquistas históricas do povo. As gravações de suas conversas com o dono da JBS são a pá de cal num governo golpista, ilegítimo e usurpador.

Corrupção, obstrução da Justiça, tráfico de influência. Em poucos minutos de conversa com o dono da JBS, Temer passeia com desenvoltura pelo código penal. Indica homens de confiança para quebrar galho de frigorífico, acerta detalhes de propina e encerra com fecho de ouro. Pede a manutenção da mesada da empresa ao detento e ex-deputado Eduardo Cunha: “tem que manter, viu?”.
Agora entende-se melhor porque o juiz-promotor Sérgio Moro não deixou Cunha fazer perguntas sobre o presidente em interrogatório. Tão receptivo na hora de fabricar acusações contra o ex-presidente Lula, o juiz-promotor impediu o ex-chefe da Câmara de denunciar Temer. Saiu-se com o seu já famoso “não vem ao caso”. Só que “vinha ao caso”.

Pela primeira vez nesta novela da Lava-Jato, surge uma denúncia robusta baseada em fatos registrados com voz e imagens. Um filme de terror. Desta vez, não se trata de histórias contadas por delatores escolhidos a dedo. Tampouco de documentos apócrifos e o bla-blá-blá vistos no depoimento de Lula. Está tudo lá na conversa descontraída entre Temer e o dono da JBS.

Dispensado falar muito sobre o diálogo de Aécio Neves. O ex-governador aparece como ele é. Usa linguagem chula para agradecer uma bolada supostamente destinada a um advogado, escala o primo para receber dinheiro sujo e promete matar quem quiser revelar a roubalheira. Como se não bastasse, embolsa ele próprio o dinheiro. Este modelo de caráter e probidade preside o ninho tucano. Não é necessário dizer mais nada.

É impossível separar o Temer da calada da noite do Temer à luz do dia. O presidente cúmplice do suborno pelo silêncio de Cunha é o mesmo que ataca a aposentadoria, quer aniquilar leis trabalhistas, promove recordes de desemprego e monta um ministério semelhante a uma quadrilha. Quadro tão devastador que mesmo os comentaristas da “grande imprensa” passaram a noite se dizendo “horrorizados”. O jogo de cena não esconde o papel desta gente como corresponsável pelo golpe contra a ex-presidenta Dilma.

Temer está nu em praça pública. Tem que sair, viu? Os fatos, a democracia, clamam pela sua saída imediata. Passou a hora de o povo retomar as rédeas do processo e eleger um presidente de fato e de direito. Esta é a verdadeira reforma de que o Brasil precisa. Renúncia e eleições diretas. Já.

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.
Categorias
Diretas JáGolpePolítica

Mídia democrática, plural, em rede, pela diversidade e defesa implacável dos direitos humanos.
2 comentários:
  • Fictício Silva
    18 maio 2017 at 2:53
    Comente

    #FORA tEMER, tucano disfarçado de rato.

  • Araci Coelho Gomes
    18 maio 2017 at 6:51
    Comente

    Não tem conversa. Todas na rua. Eleições Gerais já.

  • Deixe uma resposta

    Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianPortugueseRussianSpanish

    Relacionado com