Temer mente no balanço de seus 231 dias de governo

Começa por pechinchar para "120 dias de governo". Comete vários deslizes, amontoa dados sem relevância e escolhe datas conforme interesse e conveniência.

A propaganda de Temer e seus companheiros, sobre as realizações de seus “primeiros 120 dias”, tem uma questão de fundo: que dia começou seu “governo”? Sua propaganda indica que foi em agosto. Mas, por que considerar 31 de agosto, se no dia 12 de maio ele deu posse a 24 ministros, incluindo Henrique Meirelles na Fazenda? E atirou no lixo, a partir daí, o programa eleito em 2014?

Melhor mesmo seria escolher datas variáveis conforme interesse e conveniência da propaganda. E não é que foi exatamente isso que fizeram: determinados dados foram avaliados por “120 dias” e outros por “231 dias” e outros, ainda, pelo período em que a estatística ficou mais elegante.

Ilustrações Joana Brasileiro

Dá para deixar por 120 dias?

O primeiro título que nos ocorreu para esse artigo foi: “Temer pede para deixarmos por 120, os 231 dias que governou”. Sabe quando a pessoa dá uma pechinchada? Se colar… Mas, os problemas não pararam por aí: a propaganda misturou iniciativas de seu período à frente do Executivo com ações de Dilma. Esse fato inviabilizou nossa manchete.

A propaganda comete outros deslizes: amontoa dados sem a menor relevância, dados que não alteram em nada o quadro recessivo e de desemprego que nos aflige. Assim, a propaganda oficial de Temer: i) distorce dados econômicos, ii) calcula percentuais usando diferentes datas de comparação, iii) omite dados essenciais, iv) amontoa dados irrelevantes e v) mistura iniciativas do governo Dilma.

Vamos aos exemplos

1 “Repatriação de capital: medida que tornou possível trazer para o País R$ 46,8 bilhões que foram aplicados para o desenvolvimento do País e repassados para estados e municípios”. A legalização de ativos no exterior está na lista da propaganda sob o título: “Conheça algumas de muitas medidas tomadas neste governo que já se tornaram realidade”

Independentemente de avaliarmos se a medida foi boa para o país, é preciso apontar que a lei nº 13.254, foi sancionada em 13 de janeiro de 2016, pela ex-presidenta Dilma Rousseff. Portanto, o chapéu que vos cumprimentou foi o de Dilma, para o bem ou para o mal.

2 “Reforma administrativa: já foram extintos 14.200 funções e cargos comissionados”, também está na lista da propaganda sob o título: “Conheça algumas de muitas medidas tomadas neste governo que já se tornaram realidade”

Ao avaliarmos, no entanto, o que diz o site do ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão concluímos que serão “extintos” 4.689 cargos em comissão e funções de confiança, ao longo de 2017: 1º de janeiro; 31 de março de 2017; e 31 de julho de 2017”. Além disso, não é exato falar em extinção, uma vez que, esses cargos serão ocupados por servidores públicos concursados.

3 O primeiro item dos feitos de Temer e companhia na agenda de economia é “a recuperação das grandes empresas estatais brasileiras e valorização de suas ações, como a Petrobras (114%), Eletrobras (237%), Banco do Brasil (98%)”.

Ocorre que em 31/08 a ação preferencial da Petrobras fechou cotada em R$ 12,85, segundo o site Yahoo! Finanças. E em 29/12, quando a propagando diz que Temer completou 120 dias de governo a ação estava em R$ 14,78. Isso não dá uma valorização de 15%.

Caramba! Confundir a variação de 15% com 114% só acontece se tiver faltado a muitas aulas de aritmética. Ou não! Vamos pegar a data que mais nos interessa? Tomemos 23/01/2016 quando a ação chegou a R$ 4,20 e comparemos com 29/12 quando chegou a R$ 14,78. Chegamos a 252%. A propaganda poderia ser: “O governo Temer é o máximo, fez a ação da Petrobras valorizar 252%”. Bem, acho que já ficou claro que tudo depende de qual data de comparação tomamos.

Mas, tem outros fatores bem importantes. O primeiro é que não há menção ao preço do petróleo e ele é o principal determinante do valor da ação das petroleiras mundo afora. O segundo é que o mercado financeiro torcia há tempos pela queda de Dilma e pela saída do PT. O que acontece quando a queda se consuma? “Nós do mercado financeiro mundial derrubamos o atraso petista, agora serão só alegrias!” É fato: as ações subiram. Menos do que gostariam Temer, os seus e sua agência de propaganda. Bem mais difícil, entretanto, será fazer subir o emprego, o crescimento. Mas para a propaganda nem um, nem outro importam. Importante é em quanto o mercado estima o valor de Petrobras, Banco do Brasil e demais joias da coroa.

4 Como teria se saído o governo golpista em relação ao comércio exterior? Só eficiência: “o saldo positivo de US$ 45 bilhões no comércio exterior até a terceira semana de dezembro”, afirma o compêndio dos feitos dos primeiros 120 dias.

Opa, pênalti! O saldo positivo da balança comercial brasileira (exportações menos importações) refere-se ao ano todo de 2016 até dezembro. Eles não pegaram os 120 dias, nem tampouco os 231, pegaram o prazo que tornava a estatística mais bonita. Isso tem um nome.

Mesmo assim devemos tomar o saldo positivo da balança com cuidado, pois ele demonstra que a recessão no país está fortíssima. Balança comercial ultrapositiva tem como contrapartida o fato de não importarmos quase nada, porque a nossa economia está em marcha ré absoluta, da qual não sairá tão cedo. Não há confiança de que essa turma fará o país crescer. Sem confiança nos títeres, não há crescimento. Simples.

5 Viva Temer: o dólar caiu e fica mais barato ir comprar quinquilharias em Miami! A queda do valor do dólar é comemorada na propaganda. Sem querer ser estraga prazeres, temos que contradizer Temer de novo. A cotação do dólar passou de R$ 3,24 em 31 de agosto para R$ 3,26 em 28 de dezembro. Portanto, o valor da moeda norte-americana subiu no período de 120 dias. Pouquinho, mas subiu. Puxa, sejamos razoáveis, é só questão de pegar outra data. Que tal o início de janeiro? Escolha você, leitor, a data mais adequada para a propaganda desse governo.

Novamente, é preciso apontar o outro lado: dólar mais barato é legal para quem quer comprar do exterior. Para a indústria ou para a agricultura que quer vender em dólares, cotação baixa é um inferno. Os chineses mantêm, há anos, sua moeda baixa porque são tontos, né? E o governo Temer comemora quando acha que a cotação do dólar caiu. “Credibilidade internacional do governo”, sonham.

Medidas que já se tornaram realidade?”

Dentre as medidas na rubrica “conheça algumas de muitas medidas tomadas neste governo que já se tornaram realidade”, o governo Temer ainda listou:

  • um Projeto de Lei (PL) para alterar a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) que enviará ao Congresso;

  • a proposta de reforma do ensino médio, questionada quase que unanimemente pro professores e alunos;

  • a retomada da transposição e revitalização do rio São Francisco, que não era para ter sido interrompida;

  • a redução da taxa de juros da Caixa, em 0,25%, para financiamento imobiliário, isso mesmo a comemoração é de que a taxa caiu vinte e cinco centésimos de ponto percentual. Viva!.

Vale contar projeto como realizações de governo? Estou autorizado, então, a comemorar meu projeto de emagrecer, parar de fumar e aprender inglês em 2017? Posso já considerar “realidade”?

Talvez uma boa comparação, para essa propaganda de Temer e seu grupo, seja o presidente do meu time de futebol propagandear a nova “bela” camisa do time, depois de termos perdido o Paulista, a Copa do Brasil, o Brasileiro, a Copinha e não termos nos classificado para a Libertadores. E, além de tudo, a camisa era horrível. Tempos bicudos!

Nota:

1 O gráfico com preços de Petrobras é do site Yahoo! Finanças.

2 O gráfico com cotações dp dólar é do Banco Central do Brasil.

3 O site de propaganda do governo está em http://www.brasil.gov.br/120-dias.

Categorias
DestaquesEconomiaGolpePolítica
Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

AfrikaansArabicChinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianJapaneseKoreanPortugueseRussianSpanish